Agendas ambiental e climática são oportunidades de ganho de eficiência para o comércio

Nabil Kadri, do BNDES, fala sobre os benefícios da adoção de boas práticas pelas empresas


O investimento nas agendas ambiental e climática pode trazer muitos benefícios às empresas, como oportunidades de negócios para o setor e ganho de eficiência. Nabil Kadri, chefe do Departamento de Meio Ambiente e Gestão do Fundo Amazônia do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), falou sobre o assunto na primeira reunião de 2022 do Conselho de Sustentabilidade da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), no dia 4 de fevereiro.

“É simples a equação: em qualquer assunto socioambiental, principalmente os ambientais, racionalizar o uso de recursos para diminuir a pressão que a empresa exerce sobre o meio ambiente significa usar menos recurso para produzir mais. Isso é eficiência”, afirmou Kadri.

Os interessados em reduzir o uso de recursos e mitigar o impacto na sociedade podem aderir à energia solar, participar de um sistema de Logística Reversa (LR), como a FecomercioSP oferece, comprometer-se com a diminuição de emissões e o tratamento de efluentes, entre outros.

Um dos maiores custos do comércio varejista, fora a mão de obra, conforme aponta o chefe do Departamento de Meio Ambiente do BNDES, é a energia para climatização dos espaços e refrigeração dos produtos consumida por equipamentos antigos, tornando interessante a troca desses equipamentos por outros mais eficientes, certificados com o selo Procel. Também, é a responsável por grande parte das emissões de gases de efeito estufa. No entanto, há possibilidade de avançar na redução dessas emissões, migrando para sistemas de autogeração de energia ou comprando de fontes de energia renováveis.

“Os estudos de autogeração solar começam a se justificar em razão do atual preço elevado da tarifa de energia elétrica – e, em muitos dos casos, o investimento se paga em um curto espaço de tempo”, explicou Kadri. “Inclusive, a superfície do telhado nos pontos de venda da rede varejista em regiões com grande incidência de geração solar poderia até, eventualmente, beneficiar a rede elétrica”, destacou.

O segmento de locação de automóveis também tem buscado neutralizar as emissões. Existem calculadoras que mostram a diferença no aluguel de carros sustentáveis, com menos impacto negativo ao meio ambiente. As empresas do segmento ainda trabalham em relatórios anuais de emissões evitadas ou compensadas.

Além dos aspectos levantados, Kadri relembrou que o assunto tem tomado grande proporção no meio consumidor. “É visível o aumento no número de consumidores engajados e preocupados em compreender se determinada marca ou rede varejista adota as melhores práticas ambientais e climáticas”, disse.

BNDES

O BNDES oferece soluções com foco no desenvolvimento sustentável e, por isso, apoia investimentos de caráter ambiental, social ou de governança. Entre elas estão iniciativas como o financiamento para investimentos em produtos ou processos que utilizem insumos provenientes de fontes renováveis como matérias primas, ou que possuam um menor impacto socioambiental.


Fonte: FecomercioSP.