Brasileiro deve gastar em média R$ 491 na Black Friday, diz Boa Vista

Levantamento da empresa mostra ainda que os eletrodomésticos devem ser os itens mais procurados na data


Pesquisa realizada pela Boa Vista mostra que 65% dos consumidores irão às compras na Black Friday de 2022. Na edição de 2021, eram 67% os consumidores com intenção de compra. Com relação ao ticket médio, o valor dos gastos previsto para este ano será de R$ 491,00, contra R$ 456,00 no ano anterior.


“Neste ano, o planejamento tem sido priorizado para as compras durante a data. Diminuiu o percentual de consumidores que pretendem se beneficiar de ofertas de ocasião ou comprar por impulso. Os consumidores estão mais conscientes em relação aos seus gastos, o que é compreensível, dado o momento econômico do país”, explica Flávio Calife, economista chefe da Boa Vista.


A pesquisa da Boa Vista identificou também que 35% não farão compras nesta data – no ano anterior, eram 33%. A principal razão é a percepção de desvantagem de comprar na data, passando de 21% em 2021 para 28% atuais. O aumento dos preços surge em segundo lugar, com 20% das menções (eram 27% em 2021).


Outros motivos apontados foram a contenção de despesas (17%), endividamento (15%), priorização de outras contas (12%), redução da renda e desemprego (7%).


PRODUTOS EM DESTAQUE

Assim como em 2021, os eletrodomésticos despontam como os itens mais procurados na Black Friday de 2022, com 55% das menções. Já para 46% a opção será por eletrônicos, 38% por celulares, 36% por itens de moda e 36% por itens de casa e decoração. Outras categorias também foram apontadas, como informática (27%), itens de alimentos e bebidas (16%), lazer e esporte (15%), produtos de saúde, cosméticos e perfumaria (15%), e livros (9%).


FORMA DE PAGAMENTO

A maior parte dos consumidores (73%) irá optar por parcelar o pagamento, enquanto 27% irão pagar as compras à vista. Entre eles, 42% utilizarão o cartão de crédito, 12% o cartão de débito, 7% dinheiro, 18% outros meios e 21% o Pix.


Em 2021, apenas 12% pretendiam usar o Pix, o que mostra aumento da adesão do público ao meio de pagamento.


Para 82% dos consumidores que pretendem fazer compras durante o período, as oportunidades tendem a ser vantajosas, principalmente no quesito preço. 71% dos respondentes alegaram que os descontos despertam maior interesse nas compras.


Independente do canal de compra, 41% afirmaram que irão verificar se os preços estão mesmo abaixo dos praticados nas lojas físicas, contra 31% em 2021, demonstrando maior preocupação e atenção do consumidor com o valor que irá pagar.


Enquanto isso, 39% dos consumidores pretendem comparar preços em diferentes sites, e 20% já estão acompanhando a variação dos preços ao longo dos meses que antecedem a Black Friday.


Ainda segundo os entrevistados, 53% das compras nesta Black Friday serão planejadas - em 2021, esse índice era de 43%. Já 41% irão priorizar as compras por oportunidade, ao passo que 5% afirmaram que dependerá da ocasião.


FRAUDES

A internet ainda será o principal canal para compras durante a Black Friday. Seis em cada dez consumidores, ou 61%, afirmaram que pretendem comprar na data por canais digitais, diminuindo a proporção registrada em 2021, de sete em cada dez consumidores. Em paralelo, cerca de quatro em cada dez (39%) irão comprar em lojas físicas.


No entanto, cerca de 59% dos entrevistados disseram que se sentem inseguros ao comprar pela internet. Uma das razões é o crescimento de pessoas - 44% em 2022, contra 37% em 2021 - que sofreram com fraudes em compras anteriores.


A principal fraude registrada foi o uso indevido do cartão de crédito por terceiros, com 38% das menções, seguido por golpe em casos de compras em sites falsos, com 21%.


Além disso, 59% dos consumidores declararam que se sentem inseguros em fornecer dados pessoais (em 2021 eram 53%). 41% dos entrevistados alegaram não saber como agir em caso de fraude - uma diminuição de 3 pontos percentuais em relação ao ano passado.



FONTE: dcomercio.com.br