top of page

Confiança do comerciante sobe 2,5% em março, diz CNC

A alta foi puxada pela melhora da percepção sobre as condições atuais da economia, em um contexto de desaceleração da inflação


O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) cresceu 2,5% em abril ante março, para 111,3 pontos, informou nesta quarta-feira, 26/04, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A alta interrompeu quatro meses seguidos de queda, mas, na comparação com abril de 2022, houve uma queda de 5,7% no indicador.


Na passagem de março para abril, a alta do Icec foi puxada pela percepção sobre as condições presentes da economia. O subíndice das "condições atuais" da economia saltou 8,8%, embora o nível de 75,5 pontos ainda seja o menor desde junho de 2021.


Para a CNC, um alívio na inflação foi o principal motivo para a melhoria das percepções sobre as condições presentes da economia. "O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de março surpreendeu positivamente, alcançou 4,65% em um ano, abaixo do esperado pelo mercado e dentro do intervalo da meta de inflação do Banco Central, que era de 4,75%, pela primeira vez desde janeiro de 2021.


Além disso, a inflação de serviços caiu, e o índice de difusão, que representa a quantidade de itens que tiveram aumento de preços, atingiu 59,9 pontos e é o segundo menor desde agosto de 2020", diz a nota divulgada pela CNC.


Ao comentar os dados, os economistas da CNC destacaram ainda que o alívio na inflação vem num momento em que o varejo se prepara para o Dia das Mães. A data comemorativa de maio é a segunda mais importante para as vendas do comércio, atrás apenas do Natal. Nesse quadro, "cresceu pela segunda vez consecutiva a proporção de varejistas esperando ampliação das vendas no curto prazo, atingindo 79% do total de entrevistados", diz a nota da CNC.


Com isso, segundo o Icec, houve alta também na expectativa de contratação de funcionários: 64,4% dos "tomadores de decisão do varejo pretendem contratar", diz a nota da CNC. Segundo a entidade, essa proporção teve alta em abril, a primeira desde novembro de 2022.


FONTE: dcomercio.com.br

bottom of page