top of page

Consumo nos lares cresce 2,47% no primeiro semestre, diz Abras

No período, a Abrasmercado, cesta composta de 35 produtos de largo consumo, registrou redução de 1,75% nos preços, valendo R$ 741,23 em junho


O Consumo nos Lares Brasileiros encerrou o primeiro semestre em alta de 2,47%, de acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Na comparação de junho com o mês de maio, o indicador apresentou alta de 0,55%. Já em relação a junho de 2022, a alta é de 6,96%.


Todos os indicadores são deflacionados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


"Registramos um consumo consistente e gradual até o fim do semestre, favorecido pelo recuo do desemprego, de reajustes salariais e da consolidação dos programas de transferência de renda. Para os próximos meses, se mantidas a menor pressão da inflação sobre a cesta de alimentos, o consumo tende a ser crescente, pois há datas importantes que incentivam o consumo como o Dia dos Supermercados, a Black Friday e as festas de fim de ano", diz o vice-presidente da Abras, Marcio Milan.


Para a entidade, no segundo semestre, recursos que devem entrar na economia como o pagamento do 13º dos trabalhadores com carteira assinada, o pagamento de três lotes de restituições do Imposto de Renda 2023 somados à manutenção dos programas de transferência de renda devem produzir importantes efeitos no consumo das famílias.


ABRASMERCADO

A Abrasmercado (cesta composta por 35 produtos de largo consumo: alimentos, bebidas, carnes, produtos de limpeza, itens de higiene e beleza) encerrou o semestre com recuo de 1,75% nos preços.


Em junho, todas as regiões pesquisadas registraram deflação nos preços da cesta, que passou de R$ 750,22 em maio para R$ 741,23, um recuo de 1,20%, na média nacional.

As carnes foram os principais produtos da cesta com o maior recuo de preços no período. De janeiro a junho, a carne bovina - cortes do traseiro - registrou queda de 8,20% e os cortes do dianteiro, 5,88%. O frango congelado viu o preço cair em 5,78% e o pernil, 2,42%.


No recorte da cesta de alimentos básicos, com 12 produtos, houve variação de -1,77% em junho ante maio e o preço, na média nacional, caiu de R$ 322,00 em maio para R$ 316,29 em junho.


FONTE: dcomercio.com.br

bottom of page