top of page

Endividamento atingiu 78% das famílias em janeiro, diz CNC

O percentual é o mesmo de dezembro de 2022. Do total de endividados, 11,6% afirmaram não ter condições de arcar com as pendências


A parcela de famílias com dívidas - em atraso ou não - se manteve em 78% na passagem de dezembro de 2022 para janeiro deste ano. Em janeiro do ano passado, o percentual era de 76,1%.


Os dados são da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada nesta quarta-feira, 8/02, pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).


Entre aqueles que ganham até três salários mínimos, os endividados são 79,2%. Já aqueles que ganham mais de dez salários são 74,4%.


INADIMPLÊNCIA

As famílias com dívidas em atraso, as chamadas inadimplentes, somam 29,9% do total, abaixo dos 30% de dezembro, mas acima dos 26,4% de janeiro do ano passado.


Entre aquelas com renda de até três salários mínimos, 38,7% são inadimplentes. Já entre os que ganham mais de dez salários, a inadimplência atinge 13,5%.


SEM CONDIÇÕES DE PAGAR

As famílias que não terão condições de pagar suas dívidas são 11,6%, percentual superior aos 11,3% de dezembro e aos 10,1% de janeiro de 2022.


O problema atinge 17,4% daqueles que ganham até três salários mínimos e 2,9% dos que ganham mais de dez salários.


FONTE: dcomercio.com.br

Comments


bottom of page