Gigante do varejo de moda busca reduzir impactos negativos e fortalecer os positivos

Cyntia Kasai, da C&A Brasil, conta como a agenda ESG se consolidou na empresa e detalha plano de economia circular

O episódio desta semana do podcast Mercado & Perspectivas, uma realização da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), recebe Cyntia Kasai, gerente-executiva de ESG da C&A Brasil. Na conversa, Cyntia explica que a empresa, presente no Brasil há 46 anos, busca “mitigar os impactos negativos e fortalecer os positivos”, quando se trata de sustentabilidade.

Ainda de acordo com Cyntia, o tema começou a se consolidar na companhia entre 2006 e 2009, quando a executiva começou a atuar, de fato, dentro da cadeia de fornecimento, trazendo questões de segurança do trabalho. Além disso, passou a publicar relatórios anuais com metas e propósitos para os anos seguintes. “Ninguém nasce sustentável, é uma jornada de longo prazo”, afirma.

Neste ano, a empresa divulgou um conjunto de compromissos para 2030, com foco na “economia circular”, tema que tem sido trabalhado desde 2015. “Nós, como um negócio do varejo de moda, queremos oferecer ao cliente um produto de impacto positivo e que também seja sustentável.” Desde 2017, a C&A desenvolve um sistema de implementação de urnas de coleta para peças usadas – da loja ou não. Os itens em bom estado são doados para ONGs e instituições; e os inaproveitáveis, destinados à reciclagem e reinseridos em uma nova coleção, fechando-se o ciclo. “Com isso, a C&A consegue lançar novas coleções circulares”, pontua Cyntia.

Em 2021, a companhia aderiu ao pacto global da Organização das Nações Unidas (ONU), reafirmando um compromisso. "Tanto nossas metas quanto a estratégia para 2030, são desenvolvidas e pensadas para contribuir para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)”, comenta Cyntia.

Ainda na conversa, a executiva fala sobre expectativas e tendências para o futuro e manda um recado às organizações acerca das práticas ESG, agenda que estará cada vez mais presente na vida das pessoas. “Pratiquem ESG e sustentabilidade, mas de forma genuína.”

FONTE: fecomercio.com.br