Hóspedes do Airbnb representaram 5,6% de toda a atividade turística brasileira em 2021

Para cada 10 dólares gastos em acomodações, os hóspedes desembolsam 52 dólares adicionais em outros negócios durante a viagem, em segmentos que vão além do turismo, como entretenimento, restaurantes, lojas e transporte.


Levantamento mostra o impacto da plataforma do Airbnb na economia do país

Um novo relatório da Oxford Economics, realizado a pedido do Airbnb, apresenta a recuperação do turismo no Brasil, gerando grande impacto na economia e movimentando uma parte significativa do setor. Durante as estadias em acomodações disponíveis no Airbnb em 2021, os gastos de hóspedes representaram 5,6% de toda a atividade turística direta do Brasil no ano. No total, foram 4 bilhões de dólares.


As principais descobertas do relatório da Oxford Economics em relação a 2021 são essas

  • Os gastos de hóspedes que fizeram reservas por meio da plataforma apoiaram diretamente 1,9 bilhão de dólares do Produto Interno Bruto (PIB) nacional e 101 mil empregos no Brasil, gerando 1,1 bilhão de dólares em remunerações, salários e outros.

  • Para cada 10 dólares gastos em acomodações, os hóspedes desembolsam 52 dólares adicionais em outros negócios durante a viagem, em segmentos que vão além do turismo, como entretenimento, restaurantes, lojas e transporte.

  • Em 2021, o número de check-ins de hóspedes cresceu 2,9 milhões em relação a 2019. Esse aumento possibilitou que a comunidade do Airbnb apoiasse diretamente 44 mil empregos a mais e 624,2 milhões de dólares adicionais no PIB em 2021 em relação a 2019.

  • 54% dos anfitriões no Airbnb, no Brasil, se identificaram como mulheres.

Atividades econômicas diretamente estimuladas por hóspedes em acomodações no Airbnb ajudaram a apoiar a recuperação do turismo no Brasil. “O Airbnb é uma parte importante da retomada do turismo no Brasil e trabalha continuamente para trazer mais oportunidades para a economia local e aos anfitriões, além de possibilitar que os hóspedes tenham uma conexão mais autêntica com as comunidades. Este levantamento mostra a importância da atividade feita pelo Airbnb e a quantidade de pessoas impactadas pela atividade, não só no turismo”, avalia Flavia Matos, diretora de relações institucionais e governamentais do Airbnb para a América Latina.


Em nota, o Airbnb informa que continua comprometido a apoiar a economia brasileira, com apoio à democracia e redistribuição do turismo no país.


Metodologia de pesquisa

A Oxford Economics analisou o impacto econômico da comunidade do Airbnb no Brasil.

Para efeitos desta análise, os gastos dos hóspedes que realizam reservas por meio do Airbnb referem-se a todos os gastos de viagem, exceto acomodações, também referidos como ganhos de anfitriões. Ele inclui gastos no destino, como restaurantes, compras e entretenimento, bem como transporte local e transporte de e para o destino.


A análise baseia-se em uma combinação de dados de atividade de hóspedes e dados de pesquisas de hóspedes fornecidos pelo Airbnb e em estimativas da Oxford Economics sobre o impacto econômico direto do turismo, em termos de PIB, empregos e renda.


A Oxford Economics preparou estimativas baseadas em modelos para padronizar e ampliar as estimativas de gastos dos hóspedes, por exemplo, para incluir gastos com transporte para/do destino, e calculou as principais relações de impacto com base nas relações previamente estimadas entre turismo e atividade econômica.


A análise foca nos impactos diretos, que consistem em gastos de hóspedes (excluindo acomodações ou ganhos de anfitriões) e o PIB, emprego e renda diretamente suportados por esses gastos. Os impactos diretos quantificados nesta análise excluem importantes efeitos multiplicadores, como impactos indiretos na cadeia de fornecimento que ocorrem à medida que as empresas que atendem diretamente aos visitantes compram insumos de outros negócios.


FONTE: diariodoturismo.com.br