O microempreendedor individual deve sair de férias?

Segundo o Sebrae, uma pausa, ainda que isso signifique a suspensão das atividades, pode ser importante. Mas exige planejamento.


O microempreendedor individual (MEI) deve sair de férias? Em um primeiro momento, isso parece impossível, afinal, como a maioria deles toca sozinho os negócios, férias significaria suspender as atividades empresariais, o que parece um tanto arriscado.


Mas, segundo especialistas do Sebrae, essa pausa nas atividades pode ser importante para a saúde dos negócios e do empreendedor. Para tanto, é preciso organização, de acordo com Enio Pinto, gerente de Relacionamento com o Cliente do Sebrae.


Ele recomenda que o MEI identifique quais períodos do seu negócio têm baixa demanda ao longo do ano. “A partir disso, é possível planejar qual é o melhor período para fazer uma pausa e se organizar para sair de férias, sem causar uma frustração nas expectativas dos clientes.”


Outro ponto observado pelo especialista é o impacto da pausa nas operações na saúde financeira do negócio. “Aconselho que o empreendedor tenha uma pequena reserva para esses dias de descanso.”


Decisão tomada, é hora de avisar o cliente sobre a data prevista das férias, para que ele não pense que o negócio está desativado ou acabou. “Com uma certa antecedência, comunique o período em que vai paralisar as atividades e quando deve retomar ao atendimento. Deixe claro que é uma pausa curta para recarregar as energias, para atendê-lo ainda melhor na volta”, recomenda o gerente do Sebrae.


O ideal, segundo Pinto, é que o empreendedor consiga delegar as tarefas mesmo que seja um MEI ou tenha um pequeno negócio familiar, visto que, além das férias, imprevistos também podem acontecer. “Se o microempreendedor individual não tiver alguém a quem possa repassar as suas atribuições, uma alternativa é criar um ambiente onde o cliente consiga enviar as suas demandas. Depois, ao retornar das férias, o empreendedor entra em contato para atendê-lo.


Fonte: Diário do Comércio.