País gerou 278.085 postos formais de emprego em setembro

A criação de novas vagas foi puxada pelo desempenho do setor de serviços, com a geração de 122.562 empregos no mês


O mercado de trabalho formal brasileiro registrou um saldo positivo de 278.085 carteiras assinadas em setembro, de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira, 26/10, pelo Ministério do Trabalho.

O resultado veio abaixo do registrado em setembro do ano passado, quando foram abertas 330.177 mil vagas formais. No mês de agosto deste ano, foram criados 285.314 postos de trabalho, número com ajuste. O dado do mês passado decorreu de 1,926 milhão de admissões e 1,648 milhão de demissões.


O mercado financeiro já esperava um novo aumento do emprego no mês. No acumulado de janeiro a setembro, o saldo do Caged já é positivo em 2,147 milhões de vagas. O número está abaixo dos nove primeiros meses do ano passado, quando houve criação líquida de 2,504 milhões de postos formais.


SERVIÇOS

A abertura líquida de 278.085 vagas de trabalho com carteira assinada em setembro foi novamente puxada pelo desempenho do setor de serviços no mês, com a criação de 122.562 postos formais. O número, no entanto, veio abaixo do registrado no mês de agosto (144.755) e no mesmo mês do ano passado (150.492). Em setembro, o comércio foi o segundo setor que mais abriu vagas, com saldo positivo de 57.974. Já a indústria geral teve resultado de 56.909 postos formais abertos. Na construção, foram criados 31.166 empregos. Na agropecuária, 9.474 vagas no mês. Todos os setores abriram menos postos em setembro deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado. Em setembro, todas as 27 Unidades da Federação obtiveram resultado positivo no Caged. O melhor desempenho foi registrado em São Paulo novamente, com a abertura de 61.167 postos de trabalho. Já o menor saldo foi o do Amapá, que registrou a criação de 739 vagas em setembro. SALÁRIO MÉDIO O salário médio de admissão nos empregos com carteira assinada caiu de 1.943,60 em agosto, para R$ 1.931,13 em setembro. Em setembro do ano passado, estava em R$ 1.923,89.


FONTE: dcomercio.com.br