Pequenos negócios responderam por 69% dos empregos formais criados em setembro

Do total de 278.085 novas vagas criadas no mês, 192.463 mil foram geradas por micro e pequenas empresas segundo levantamento do Sebrae feito com base em dados do Caged


No mês de setembro, o Brasil criou 278.085 novas vagas de emprego. O resultado foi fortemente influenciado pelas micro e pequenas empresas, responsáveis por 192.463 mil vagas, o que corresponde a 69,2% do total de contratações – de acordo com análise do Sebrae feita a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

No acumulado de 2022, o Brasil supera a marca de 2,1 milhões de empregos gerados, sendo as MPE responsáveis por mais de 1,5 milhão (71,2%).


Assim como aconteceu em maio, junho e julho, todos os setores, em todos os portes apresentaram saldos de contratações positivos. Dentre os pequenos negócios, os setores que mais geraram empregos se mantém sendo os de Serviços (84.624), Comércio (50.675) e Construção (27.872).


O setor de Serviços continua sendo a principal força geradora de empregos do país com quase 786 mil (36,6%) postos de trabalho gerados.


O resultado mantém a tendência observada em agosto - o que, segundo o presidente do Sebrae, Carlos Melles, confirma que as MPE são o segmento com melhores condições para responder ao desafio da criação de empregos no país.


“As micro e pequenas empresas seguem sustentando a geração de novos postos de trabalho no Brasil. Acreditamos que o aumento do prazo e as melhores condições para o pagamento de empréstimos do Pronampe dará ainda mais fôlego para esses empreendedores nessa reta final de 2022”.


No acumulado de 2022, o único estrato que continua com saldo negativo é o setor de Comércio das Médias e Grandes Empresas.


FONTE: dcomercio.com.br