Preços de venda de imóveis residenciais aumentam 0,60% em agosto no país

Preço médio de venda de um imóvel residencial chega a R$ 8.166/m² em agosto nas capitais brasileiras, segundo o Índice FipeZap


Os preços de venda de imóveis residenciais no Brasil subiram 0,60% em agosto, segundo o Índice FipeZap. Em termos de comparação, o IGP-M apresentou deflação de 0,70%, enquanto a prévia da inflação ao consumidor (IPCA/IBGE) teve um recuo de 0,73% nos preços.

O índice acompanha o comportamento dos preços de venda de imóveis residenciais em 50 cidades brasileiras. Destas, 45 apresentaram elevação nos valores. Considerando as 16 capitais acompanhadas, apenas João Pessoa, na Paraíba, apresentou queda nos preços de venda (-0,05%). Entre as demais, destacaram-se as variações em Vitória (+1,88%), Manaus (+1,77%), Curitiba (+1,20%), Florianópolis (+1,19%), Belo Horizonte (+1,07%) e Maceió (+1,03%).

O preço médio calculado para as 50 cidades monitoradas pelo índice foi de R$ 8.166/m². Entre as 16 capitais acompanhadas, a cidade de São Paulo apresentou o valor médio por metro quadrado mais elevado do período (R$ 9.991/m²), seguida do Rio de Janeiro (R$ 9.824/m²), Vitória (R$ 9.707/m²), Florianópolis (R$ 9.227/m²) e Brasília (R$ 8.726/m²).

Em contraste, as capitais que apresentaram o menor preço médio de venda residencial no mês foram Campo Grande (R$ 4.947/m²), João Pessoa (R$ 5.313/m²), Salvador (R$ 5.659/m²), Manaus (R$ 5.796/m²) e Goiânia (R$ 5.823/m²). Os valores foram calculados com base na amostra de anúncios de imóveis residenciais colocados à venda no mês de agosto.

Balanço parcial de 2022

De janeiro até agosto, o índice registrou uma alta acumulada de 4,11%, variação superior à inflação medida pelo IPCA/IBGE (+4,00%), mas inferior ao resultado acumulado pelo IGP-M (+7,63%).

Análise dos últimos 12 meses

Nos últimos 12 meses, o índice acumulou um avanço de 6,07%, variação inferior à inflação acumulada pelo IPCA/IBGE (+8,32%) e pelo IGP-M (+8,59%). Entre as 16 capitais monitoradas, os maiores avanços de preço nos últimos 12 meses foram registrados em Vitória (+20,93%), Goiânia (+19,59%), Curitiba (+16,04%), Maceió (+14,47%), Florianópolis (+13,14%) e Campo Grande (+12,95%).

FONTE: exame.com