top of page

Registros de inadimplentes recuam após nove altas seguidas

Segundo o birô de crédito, a desaceleração da inadimplência deve ocorrer nos próximos meses, mas em ritmo lento


Os registros de inadimplentes na base de dados da Boa Vista recuaram 1,1% em abril, na comparação com março. Foi a primeira queda do indicador após nove meses seguidos de alta.


Na variação interanual, os registros subiram 8,2%. Na análise acumulada em 12 meses a alta do indicador desacelerou, passando de 22,4% em março para 20,9% em abril.


“O número de registros voltou a cair e isso pode ser um sinal de que o ponto de inflexão na curva de inadimplência esteja mais próximo. A desaceleração na curva em 12 meses já era esperada; ela ainda é tímida, mas já começou e nos próximos meses isso tende a ficar mais evidente”, diz Flávio Calife, economista da Boa Vista.


Ainda segundo ele, assim como o número de registros, a taxa de inadimplência subiu muito em 2022 e agora em 2023 a elevação tem sido menor. “Diante do cenário atual, dificilmente esse aumento será revertido no curto prazo. É esperada uma estabilização destes números em patamares altos por um pouco mais de tempo”, avalia o economista.


RECUPERAÇÃO DE CRÉDITO

Já o Indicador de Recuperação de Crédito da Boa Vista recuou 1,5% na comparação mensal, devolvendo o resultado verificado no mês anterior, mas encerrando o trimestre móvel com elevação de 1,5%.


Em relação ao mês de abril do ano passado, houve um aumento ainda robusto de 12,8% e isso contribuiu para manter a curva de longo prazo do indicador em ritmo acelerado: o crescimento da recuperação de crédito passou de 16,7% para 17,1% entre os meses de março e abril na análise acumulada em 12 meses.


FONTE: dcomercio.com.br

Comments


bottom of page