Setor de serviços cresceu 10,9% em 2021


O volume de serviços prestados no Brasil cresceu 1,4% em dezembro, na comparação com novembro. Com o resultado, o setor fechou 2021 com avanço de 10,9%, eliminando as perdas do ano anterior, quando começou a pandemia. Os dados foram divulgados nesta 5ª feira (10.fev.2022) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O percentual de 2021 foi a maior taxa para um fechamento de ano desde o início da séria histórica, iniciada em 2012. O número, porém, representa mais um efeito estatístico, porque o salto ocorre depois do tombo recorde de 7,8% que foi registado em 2020.

De acordo com o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo, de 2020 para 2021, houve uma alta de 2,2% no setor. “Nos primeiros meses de 2020, o setor de serviços foi duramente afetado em função da necessidade de isolamento social e do fechamento dos estabelecimentos que prestavam serviços de caráter presencia“, afirmou.

“Por outro lado, a pandemia trouxe oportunidades de negócios para serviços voltados às empresas, como os de tecnologia da informação, transporte de cargas, armazenagem, logística de transporte e serviços financeiros auxiliares, que tiveram ganhos mais expressivos e compensaram as perdas dos serviços de caráter presencial.”.

Lobo destaca que houve alta em todas as atividades. Os segmentos que mais se destacaram no ano foram transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (15,1%) e informação e comunicação (9,4%). Com o aumento, as duas atividades superaram as quedas de 7,6% e 1,6%, respectivamente, registradas em 2020.

Os demais avanços vieram de serviços profissionais, administrativos e complementares (7,3%); serviços prestados às famílias (18,2%); e outros serviços (5,0%). No caso de serviços profissionais, administrativos e complementares e serviços prestados às famílias, o crescimento de 2021 não foi suficiente para compensar as perdas de 2020 (respectivamente, -11,4% e -35,6%).

Já a atividade de outros serviços vem registrando aumento desde 2018, tendo crescido 6,8% em 2020. O setor de serviços é o que possui o maior peso na economia brasileira: 73,3% do Produto Interno Bruto.


FONTE: Pode360