Setor de serviços defende implementação de imposto único no sistema tributário brasileiro

A segunda etapa do Fórum Internacional “Reforma Tributária, Simplificação e Justiça Social: o papel da Tributação sobre Movimentação Financeira” foi realizado na Câmara dos Deputados.


O evento, promovido pela Febrac, Coalizão Simples Brasil e Instituto de Inovação e Governança (Índigo), apresentou experiências internacionais na implantação do microimposto, imposto digital e o imposto único, que estão em discussão em diversos países da OCDE e nos EUA.


Especialistas brasileiros, da Suíça, EUA e Hungria demonstraram que a tributação sobre movimentação financeira não é somente uma pretensão brasileira. Como exemplo, o Fórum apresentou o estudo liderado pelo professor Antonio Weiss, da Harvard Kennedy School, além de palestra do economista e consultor tributário da Febrac, Marcos Cintra, sobre o Imposto Único Federal como uma solução moderna e eficaz para o sistema tributário nacional.


O evento apresentou também a experiência da Hungria, primeiro país a implementar a tributação sobre movimentação financeira, com a participação da chefe da Unidade de Impostos Corporativos do Ministério das Finanças da Hungria, Dra. Tímea BORÓK, e a Diretora de Fiscalização, Ministério das Finanças da Hungria, Dra. Virág LIPTÁK.


De acordo com economista Marcos Cintra, “não existe imposto perfeito, nem diabólico. A força da digitalização está levando o mundo inteiro a considerar a tributação por movimentação financeira. Um mecanismo que permite maior segurança e estabilidade econômica”, defendeu.


Fonte: Febrac.