Terceira fase do Open Banking traz benefícios ao e-commerce, como a melhora no fluxo de caixa




O comércio eletrônico passa a contar com mais um serviço financeiro que facilitará a relação entre empresas e consumidores. A terceira fase do Open Banking, implementada pelo Banco Central (Bacen), possibilita aos clientes fazer compras em lojas virtuais com o PIX sem precisar abrir o aplicativo da instituição bancária. A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) acredita que a novidade poderá ajudar o fluxo de caixa. Além disso, considerando a chegada do Natal, pode ser uma grande oportunidade para que estes negócios disponham dos recursos das vendas de forma instantânea, melhorando a experiência de compra do cliente.


Ao escolher o pagamento via PIX, o consumidor informará apenas a chave de identificação (CPF ou endereço de e-mail) no site do e-commerce. A empresa responsável acionará o banco para realizar o débito. No entanto, antes de o procedimento ser realizado, a instituição financeira emitirá um comunicado com todos os detalhes da compra para o correntista. O consumidor receberá uma mensagem do banco solicitando o consentimento para a transação. Após a confirmação, o pagamento será realizado.


Esta medida não apenas traz agilidade, como também reduz o abandono do carrinho de compras no comércio eletrônico, pois o débito em conta ocorre imediatamente. Assim, não há risco de o cliente esquecer de pagar o boleto e a empresa deixar de vender a mercadoria para outro consumidor (ou, ainda, o estoque ficar parado até o pagamento ser compensado). Além disso, o Open Banking permite que os dados dos consumidores fiquem armazenados para as próximas compras (sempre com o seu consentimento e finalidade clara). A empresa pode também oferecer descontos diferenciados para os que realizarem o pagamento via PIX.


Como vai funcionar

Nas primeiras duas semanas, o sistema funcionará com usuários selecionados pelas instituições financeiras. Eles podem ser internos, funcionários, colaboradores, entre outros. O uso será autorizado em dia útil, com horário determinado e limite de até R$ 1 mil. Posteriormente, as instituições liberarão a funcionalidade para 1% da base de clientes (ainda com limite de R$ 1 mil e horário reduzido). O porcentual aumentará para 10% nas semanas seguintes. Em 1º de dezembro, a ferramenta será disponibilizada para todos os clientes, 24 horas, todos os dias, mas com limite de até R$ 1 mil. A partir de 17 de fevereiro de 2022, a funcionalidade passará a ser oferecida sem restrição de valor.


Sobre a FecomercioSP

Reúne líderes empresariais, especialistas e consultores para fomentar o desenvolvimento do empreendedorismo. Em conjunto com o governo, mobiliza-se pela desburocratização e pela modernização, desenvolve soluções, elabora pesquisas e disponibiliza conteúdo prático sobre as questões que impactam a vida do empreendedor. Representa 1,8 milhão de empresários, que respondem por quase 10% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e geram em torno de 10 milhões de empregos.