Turismo rodoviário ganha impulso com novos investimentos

O turismo rodoviário deve ser impulsionado com os novos investimentos no setor.


Dados revelados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Ônibus – Fabus, destaca a venda de 1.403 ônibus para o setor rodoviário regular de passageiros nos últimos seis meses. O número é 73% maior que o mesmo período do ano passado, quando se vendeu apenas 811 unidades. Com os novos investimento o turismo rodoviário deve ser impulsionado.

Diante do cenário de restabelecimento da segurança jurídica no setor rodoviário de passageiros, as empresas de ônibus regulares voltaram a investir fortemente na renovação e ampliação de suas frotas. O turismo rodoviário ganha com isso.


De acordo com dados da Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros – Abrati, o mercado regular de transporte de passageiros vinha sofrendo com a atuação do transporte clandestino digital realizado por meio de aplicativos, que operou favorecido pela baixa fiscalização durante a pandemia.


No entanto, com a mudança do cenário jurídico e regulatório, o mercado recupera o otimismo, é o que se pode constatar perante a firme reação do judiciário contra a ilegalidade e ainda pela iminente edição do novo marco regulatório dos transportes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que por meio de sua minuta e das discussões estabelecidas em audiência pública, exigirá saúde financeira das empresas, programas claros em reforço da segurança nas viagens e estrutura operacional para autorizações nessa modalidade de transporte.


“Tendo em mente que cada ônibus representa a geração de até 15 empregos na cadeia do transporte em linhas regulares, observamos ótimas perspectivas também para a empregabilidade no setor”, destaca Letícia Pineschi, conselheira e porta-voz da Abrati.


Para a executiva, o salto no investimento é uma clara mensagem do empresariado do setor sobre a confiança proporcionada pela segurança jurídica, assegurada numa regulamentação simples, porém bem definida, que começou a ser desenhada com a aprovação da lei 14.298/22 que contêm premissas para nortear a elaboração da nova ordem regulatória para o setor de transporte de passageiros nos segmentos interestadual e internacional.


FONTE: diariodoturismo.com.br