top of page

Viagens corporativas: após recuperação alta de 82% faturamento anual, tendência é positiva para 2023

Guilherme Dietze, do Conselho de Turismo da FecomercioSP, fala sobre o LVC no 18º Lacte

O sucesso da parceria da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) com a Associação Latino Americana de Gestão de Eventos e Viagens Corporativas (Alagev) foi um dos temas da 18º edição do Latin American Community for Travel and Events Experience (Lacte), realizada na última segunda-feira (27), no Golden Hall do WTC Events Center, em São Paulo.

A Alagev, participante ativa das reuniões do Conselho de Turismo da Entidade, é organizadora do Lacte e coprodutora, junto com a FecomercioSP, do Levantamento das Viagens Corporativas (LVC), indicador que divulga informações relevantes acerca do segmento corporativo.

Guilherme Dietze, assessor técnico do Conselho de Turismo da FecomercioSP, apresentou, na ocasião, os dados do setor em 2022, além da expectativa para este ano. O indicador contribui para análise de cenários e tomada de decisão dos empresários do turismo.

“No ano passado, a estimativa do LVC foi de R$ 94 bilhões gastos pelas empresas com passagens aéreas, meios de hospedagem, alimentação, locação de veículos, bilhetes de ônibus e agências e operadoras. Este montante, que representa um aumento de 82% em relação a 2021, volta a patamar similar ao que se via antes da pandemia”, disse.

A tendência para 2023 é positiva, conforme afirma Dietze, pois a base de comparação do primeiro semestre ainda é frágil, dada a série de cancelamentos em razão da variante ômicron da covid-19 no primeiro bimestre de 2022. Além disso, como indicador antecedente, vários centros de eventos e destinos já estão com número restrito de datas disponíveis para os seis primeiros meses do ano.

“Outro ponto relativamente positivo é que os preços, embora elevados, estão mais estáveis. Isso traz um enorme ganho de previsibilidade para os gestores, sem grandes surpresas ao longo do ano”, afirmou Dietze.

FONTE: fecomercio.com.br

bottom of page